EmbalagemSustentabilidade

Adimax, em parceria com Terphane e Copobras, lança a primeira embalagem do Brasil com PET PCR de ração para cães e gatos

Durante os primeiros meses da pandemia, milhares de famílias brasileiras se moveram para preencher o vazio deixado pelo isolamento social com a aquisição de animais de estimação, fenômeno que também destaca que o Brasil é um dos maiores mercados mundiais de produtos para animais, atrás apenas dos Estados Unidos e China. .

Esse incremento também é confirmado por um estudo recente da Euromonitor International, que mostra um aumento de 87% nas vendas de acessórios e alimentos para animais de estimação nos últimos cinco anos, número que a agência de inteligência tem certeza que se manterá estável até 2026.

Num mercado com tão elevado potencial de crescimento, a diferenciação tornou-se um fator chave para a competitividade das empresas que atendem à procura de pet food, principalmente impulsionando produtos e embalagens que se destaquem pela sustentabilidade, funcionalidade e garantias de segurança alimentar.

Esses filmes incluem um mínimo de 30% rPET, conforme garantido pelo selo “Conteúdo Reciclado” concedido pelo organismo de certificação internacional SCS Global Services.

Uma oportunidade de gerar valor agregado para o setor de pet care e ao mesmo tempo atender às demandas ambientais dos donos de animais de estimação se materializou recentemente no Brasil para a Adimax , uma das maiores processadoras de rações para cães e gatos. Fundada em 2002 com a missão de promover o bem-estar dos animais domésticos por meio de alimentos de alta qualidade, a fabricante também é pioneira no desenvolvimento de soluções ecologicamente corretas no Brasil.

Como parte de seu portfólio de produtos, a marca possui uma linha denominada Fórmula Natural. Desenvolvido por veterinários, emprega conceitos avançados de nutrição para cães e gatos, buscando a diferenciação por incorporar em sua produção de alimentos carnes frescas e fontes específicas de carboidratos, fibras, vitaminas e minerais, incluindo frutas e vegetais.  

O novo produto é fabricado com os filmes sustentáveis da linha Ecophane®, da Terphane, líder em filmes PET (poliéster) na América Latina e um importante player mundial. Esses filmes são os únicos aprovados no Brasil, pela Anvisa, para contato direto com alimentos. Os filmes sustentáveis Ecophane® têm, no mínimo, 30% de PET PCR em sua composição, o que lhes garante o selo ‘Recycled Content’, conferido pela agência internacional de certificação SCS Global Services. “Estamos felizes por ter um cliente como a Adimax que se preocupa que seus produtos e embalagens tenham um impacto ambiental positivo. A escolha do filme PET PCR Ecophane® atesta essa preocupação: cada tonelada de material PCR usado representa a coleta e a reciclagem de 13.800 garrafas PET”, ressalta André Gani, diretor Comercial & Marketing da Terphane.

Terphane dedicou toda a sua atenção e capacidade ao desenvolvimento dos filmes, enfrentando o desafio de manter intactas as propriedades de barreira. “Demoramos quase dois anos para desenvolver esses filmes e, embora nossas resinas já estivessem aprovadas para contato direto com alimentos, nossa ideia era agregar conteúdo reciclável às camadas internas para que pudéssemos expandir toda uma linha de produtos em que permanecesse a funcionalidade do filme praticamente inalterado ”, destacou André Gani, diretor de Vendas e Marketing da Terphane.

André Gani, diretor de Vendas e Marketing da Terphane.

Para a Adimax, o uso desta linha de filmes Ecophane provou ser um avanço notável em seu propósito de ter apresentações de embalagens mais sustentáveis ​​para seus produtos. “As questões socioambientais aliadas ao espírito inovador, parte do DNA da Adimax, nos impulsionam a buscar constantemente alternativas que aprimorem nossas embalagens por meio de tecnologias sustentáveis. Tudo isso, sem abrir mão da estética e da funcionalidade, oferecendo soluções mais confortáveis ​​e práticas aos nossos clientes ”, disse Leonardo Dalmagro, gerente de Desenvolvimento de Embalagens da Adimax .

Esses atributos não poderiam ser mais condizentes com a linha de produtos alimentícios atualmente embalada com filmes Ecophane, que garantem a redução do uso de matéria-prima virgem, colocando a Adimax na vanguarda brasileira dessa tendência do segmento de ração. “A parceria entre Adimax e Terphane é consistente com a nossa convicção de promover uma relação perfeita entre o alimento e sua embalagem, e nada poderia ser mais adequado para uma gama de produtos que leva a palavra“ Natural ”em seu nome do que uma embalagem de plástico flexível e sustentável, ”Afirmou Dalmagro.

Os filmes de poliéster reciclado pós-consumo Ecophane alinham-se ao objetivo da Adimax de avançar no trânsito em direção a uma economia circular, uma iniciativa auxiliada pelos novos materiais ao reduzir a pegada de carbono e o uso de produtos de base fóssil e as quantidades de resíduos que chega a aterros, rios e oceanos. “Para cada mil quilos de PET que usamos em nossas embalagens, evitamos o descarte de 13.800 garrafas de um litro em locais inadequados”, explicou-nos Dalmagro. “Nosso objetivo é intensificar as ações que realizamos para garantir a sustentabilidade em todo o ciclo de vida do nosso produto.”

As embalagens da linha Fórmula Natural tiveram origem em um projeto de eco-design inteligente centrado nos pilares econômico, social e ambiental da sustentabilidade. Durante sua execução, diversos desafios foram classificados, desde como determinar os tamanhos de porções corretos, até a aplicação de um sistema resselável para reduzir o desperdício de produto. Seu desenho e concretização contaram com a participação, além da fabricante de filmes Terphane, da transformadora brasileira Copobrás .

Andre Gani explicou os requisitos iniciais que seu cliente tinha para os filmes que deveriam ser incorporados à embalagem. “A Adimax estava procurando por características comuns de filme de poliéster, como propriedades de barreira de oxigênio, gás e umidade, e manter as propriedades mecânicas e químicas do poliéster que garantem uma usinabilidade perfeita.” Este último assunto revelou-se extremamente importante, devido à capacidade do poliéster em aceitar tanto a impressão como a laminação. “No final do dia, a Adimax estava procurando ter as mesmas propriedades do poliéster que comprava regularmente, enquanto, ao mesmo tempo, mudava para um poliéster mais verde”, ressaltou Andre Gani.

Anteriormente, a Adimax havia liderado o desenvolvimento de embalagens sustentáveis ​​no Brasil, utilizando materiais I’m Green TM da fabricante Braskem a partir de fontes renováveis ​​como o etanol de cana-de-açúcar. Com a adoção antecipada deste material, Dalmagro disse “contribuímos para reduzir significativamente o uso de combustíveis fósseis e diminuir as emissões de gases de efeito estufa em toda a cadeia do plástico. Também realizamos compensações ambientais por meio da iniciativa Eureciclo , comprometendo-nos seriamente a promover um consumo mais consciente dos recursos ”. 

O desenvolvimento que a Adimax fez com a colaboração da Terphane e da Copobrás, possibilitou alterar a estrutura do poliéster convencional que estavam utilizando, sem qualquer tipo de efeito negativo no produto. “Com os novos filmes, pudemos manter as propriedades de alta barreira, priorizando a segurança alimentar”, sublinhou o Diretor de Embalagem da Adimax. Da mesma forma, devido às semelhanças na natureza dos filmes Ecophane e PET convencional, o fabricante da embalagem não encontrou nenhum tipo de obstáculo no processo de conversão, nem foram necessários ajustes na linha de produção. A aparência estética das embalagens flexíveis Fórmula Natural também não sofreu alterações, como observa Andre Gani: “O que descobrimos com este desenvolvimento foi que os impressores não precisaram modificar suas tintas; essa era a ideia principal,

Escalabilidade disponível

As projeções quanto à adoção dos filmes Ecophane nas embalagens de rações evidenciam que terão ampla aceitação. Na Adimax, eles prevêem que sua utilização na linha Fórmula Natural poderá se expandir para outras referências do portfólio desta marca. A recepção favorável que essas novas embalagens tiveram dentro da base de consumidores está empurrando uma implementação mais ampla. “Os consumidores ficam mais exigentes a cada dia em relação à postura das marcas frente à sustentabilidade, e nossos clientes não são diferentes. Mesmo depois de tão pouco tempo após nosso lançamento, recebemos inúmeros feedbacks positivos que comprovam que estamos no caminho certo ”, garantiu Dalmagro.

As vantagens desta nova embalagem são evidentes e a promoção já está em curso em vários canais: os nossos próprios clientes, que utilizam as nossas embalagens como meio de informação, nas redes sociais e através das equipas de vendas e técnicas da Adimax. A adoção desses tipos de filmes e a incorporação de conteúdo cada vez mais reciclado sem perder a capacidade de contato com alimentos, parece ser uma tendência que certamente se tornará a principal e atingirá muitos setores e produtos muito diferentes.


Fonte: Adimax

Eudes

Especialista na Gestão Industrial e Liderança Produtiva no mercado de Embalagens flexíveis, Rótulos e Corrugados.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo